De férias em Israel, amigos encontram navio de 1.600 anos.

O que começou como uma simples viagem de mergulho no litoral de Israel no Mediterrâneo se transformou numa incrível aventura para dois amigos em maio passado.

Ran Feinstein e Ofer Ra’anan vislumbraram o pedaço de uma escultura em cerâmica aparecendo por entre os sedimentos do fundo do mar.

“Levou alguns segundos para a ficha cair sobre o que estava acontecendo.”, disse Ra’anan à imprensa depois. Os dois verificaram que a escultura não estava sozinha — o local estava repleto de artefatos.

De férias em Israel, amigos encontram navio de 1.600 anos.

Eles encontraram os restos de um navio mercante Romano, perdido no mar há cerca de 1.600 anos perto de Caesarea, uma cidade-portuária 50 km ao Norte de Tel-Aviv.

Reconhecendo que os artefatos deveriam ir para um museu e se enquadravam na Lei Israelense de Antiguidades, os dois mergulhadores contactaram as autoridades. Quando arqueólogos chegaram ao local do naufrágio, quase não acreditaram no que viram.

Uma lâmpada de bronze retratando o deus-Sol, várias âncoras de ferro, uma estátua de Luna, deusa da Lua, ânforas de vinho e água, uma figura de baleia e várias outras preciosidades.

De férias em Israel, amigos encontram navio de 1.600 anos.

O item mais surpreendente que os dois mergulhadores encontraram foram duas grandes massas de metal, formadas por milhares de moedas grudadas umas nas outras dentro das jarras de cerâmica onde estavam acondicionadas, pesando cerca de 30 kg. Com base nas moedas, os pesquisadores confirmaram a data aproximada do naufrágio, próxima da era em que o Roma estava começando a adotar o Cristianismo, pois várias delas continham a efígie de Constantino O Grande, rei da parte Oeste do Império Romano.

De férias em Israel, amigos encontram navio de 1.600 anos.

Outras moedas mostram Linicius, o imperador-rival de Constantino no Leste, que reinou entre 324 e 337 DC.

O achado é extraordinário porque todas as peças afundaram e ficaram cobertas por uma camada de areia e lodo no fundo do mar, que as preservou perfeitamente nos quase 2.000 anos que se passaram.

Nas fotos, os artefatos e as moedas encontrados nos restos do navio romano que afundou há 1600 anos na costa Norte de Israel.

As fantásticas provas da História..

Fonte: http://www.reuters.com/arti…/us-israel-antique-idUSKCN0Y71N1

 

Sandra Santos

Deixe uma resposta