Foi após uma estadia na suite do tenor Enrico Caruso, no luxuoso Hotel Vittória em Sorrento, 27 anos atrás, inspirado por toda aquela atmosfera de beleza e poesia, que  Lucio Dalla compôs a sua obra de arte: a canção, Caruso.

Reza a lenda que em 1921,  sentindo sua morte chegar, Enrico Caruso cantou com tanta potência que sua voz foi ouvida até no porto di Marina Piccola. A lenda diz também que ele estava loucamente apaixonado por uma garota a quem dava lições de canto.

Enrico Caruso

Caruso, nascido na cidade de Nápoles, é considerado o maior tenor italiano.  Doente, passou seus últimos dias em Sorrento e faleceu no dia 21 de agosto de 1921 e foi sepultado em sua cidade natal. O hotel prestou uma homenagem ao tenor dando seu nome à suíte no 4° andar,  onde ele se hospedava frequentemente.

Lucio Dalla

Já o bolonhês Lucio Dalla, também hóspede frequente do hotel, faleceu no dia 01 de março de 2012. Um ano após sua morte,  a família Fiorentina, proprietária do Vittória, decidiu dedicar-lhe a suíte  547, situada no  5° andar, com 125 m²,  um  terraço que mede 45 m², sala, quarto com grande banheiro e outro adjacente.

Placa na entrada citando Caruso

O acesso ao hotel é permitido apenas aos hóspedes, mas minha cara de pau me ajudou a convencer o porteiro, da minha extrema necessidade de ir até o famoso terraço. Exagerei, eu sei, mas meu lado dramático tem lá a sua utilidade. Valeu a pena. De fato, o panorama é espetacular.

Uma vez no terraço, fiquei tão emocionada que resolvi fazer uma “live” no Facebook. Com o auxílio de minha amiga Cida Sgarione, usei como BG a canção de Lucio Dalla, minha razão de estar alí.

Entrada do hotel

Ok! Sou desafinada, mas a emoção era tanta que cantei junto. E era  incrível o tanto que me sentia feliz naquele momento. Ao deixar o terraço, indo em direção ao lobby, passei por três senhorei, que creio 2 eram gerente e sub gerente. O terceiro, certamente hóspede, com cerca de 80 anos, muito educado e simpático, me perguntou se havia visto o terraço de Caruso e Dalla. Respondi que sim e ele começou a  cantar a canção e eu, sem nenhuma timidez e tomada pela alegria que sentia, fiz com ele uma dupla desafinada. Ao final da canção, os outros 2 senhores e minha amiga riam muito e nós, rimos também.

Me despedi  e parti levando comigo aqueles momentos,  já eternizados em minhas doces memórias.

Vista do terraço

Confira abaixo o video no terraço publicado no Facebook.

Caruso – Tradução.

“Aqui onde o mar brilha e sopra forte o vento, sobre um velho terraço, em frente ao golfo de Sorrento. Um homem abraça uma garota, depois de ter chorado. Depois se limpa a voz e recomeça o seu canto.

Viu as luzes no meio do mar, pensou nas noites lá na américa, mas eram só as lâmpadas e a branca faixa de uma hélice

Sentiu a dor na música, se levantou do piano, mas quando viu a lua sair de uma nuvem, e a morte lhe pareceu  mais doce. Olhou nos olhos da garota, aqueles olhos verdes como o mar, depois, de improviso saiu uma lágrima e ele acredita se afogar.

Gosto tanto de você, mas tanto, sabe? É uma corrente que dissolve o sangue dentro das veias, sabe.

A potência da música, onde cada drama é uma mentira e que com um pouco de truque e com a mímica pode tornar-se uma outra coisa. Mas os dois olhos que lhe olham, assim de perto e verdadeiros, lhe fazem esquecer as palavras, confundindo os pensamentos.

Assim, tudo se torna pequena, até mesmo as noites lá na América. Se vira e vê a sua vida como a faixa branca na agua feita por uma hélice.  Mas, sim é a vida que termina, mas ele não pensou tanto nisto, pelo contrário se sentia já feliz e recomeçou o seu canto

Gosto tanto de você, mas tanto, sabe? É uma corrente que dissolve o sangue dentro das veias, sabe.”

Site do hotel e com fotos das  2 suites: http://www.exvitt.it/it/sorrento_sign-suite.html

Nota: Em breve, este blog apresentará pacotes personalizados para a Itália.

 

 

Deixe uma resposta