Chianalea di Scilla é uma aldeia de pescadores localizada na ponta da bota que dá o formato do mapa italiano.

A aldeia está situada na província de Reggio di Calábria na chamada Costa Viola.  É um encanto.

Suas vielas e as casas muito antigas com flores nas janelas, dão um aspecto totalmente bucólico à vila. Sua via principal fica exatamente à beira mar, e para você ter uma ideia, muitas casas são “ beijadas” por ele.

Na via principal se encontram alguns restaurantes, lojinhas de artesanato, bares e Bed and Breakfast, mas são poucos.

Chianalea di Scilla. Foto: Sandra Santos

Se gosta de movimento, esqueça, porque a vila é muito tranquila. É ideal para quem gosta de cultura, vinho, gastronomia, sobretudo peixes e mariscos frescos, excursão em alto mar em barco a motor, mas sobretudo, tranquilidade.

Costa Viola é considerada a pequena Veneza do sul e, de fato, é muito romântica.

Chianalea di Scilla. Foto: Sandra Santos

Chianalea di Scilla é, com muita justiça, considerada uma das vilas mais lindas da Itália.

A pesca, sobretudo do peixe espada, sempre foi a atividade principal da vila. No mês de agosto há um evento chamado “Sagra del Pescespada”, que foi criado para recuperar as antigas tradições que contam a história e cultura de Chianalea e da vizinha Scilla.

Durante os dias de festa há música folclórica, mostras temáticas, oferta de enogastronomia,  claro que à base de peixe espada.

Visitar Chianalea significa se perder na magia e  cheiro de mar, esquecer o relógio e o tempo. Andar por suas vielas é se dar conta de quanta beleza existe na simplicidade e se encantar com isto. Chianalea é perfeita para dar um tempo de tudo, esquecer os problemas, andar de mãos dadas,  namorar, passar um tempo com os amigos, andar com os pés descalços, sentar e tomar uma taça de vinho olhando o mar e ouvindo seu som,  ficar em silêncio,  conversar com os moradores ou com  o dono do bar.

Ao pensar na graciosidade de Chianalea o que me vem à mente, para defini-la, é uma frase atribuída à Leonardo da Vinci:  a simplicidade é o auge da sofisticação.

Um agradecimento especial à Riccardo Amata, Antonella Mafrici e Sergio Fiorini.

Todas as fotos feitas por Sandra Santos e Sergio Fiorini

Deixe uma resposta